O pole é inclusivo


Aposto que você já ouviu falar que o pole dance é mais que uma dança. Mas você sabia que é um esporte que tem feito muito mais que tonificar o corpo e aumentar a flexibilidade dos atletas?

Se você tem alguma dificuldade para praticar pole dance ou acredita ser um desafio muito pesado para você, saiba que o pole além de beneficiar o corpo e promover auto estima, também tem se destacado por promover inclusão de atletas com deficiências. Grandes nomes como o de Debora Roach que com apenas um braço arrasa muito e já foi ganhadora na categoria Deficiente Fisico na Competição IPC de Hong Kong são cada vez mais comuns. A australiana que já nasceu sem um dos braços, driblou as gozações que recebia principalmente na infância, a baixa autoestima, o preconceito e a depressão praticando pole dance.



Os relatos dos atletas que praticam pole apesar das limitações físicas são de superação, vitórias contra transtornos psicológicos, aprendizado, satisfação e muito amor pelo esporte. Aqui no Brasil a atleta Luciana Gonçalves Soares nos conta que chegou a tentar tirar a própria vida após perder uma parte considerável da audição por doença. Segundo ela, foi através do pole dance, com ajuda de uma amiga que servia de intérprete das músicas nas coreografias, que recuperou a alegria de viver. Hoje, depois de alguns anos de prática, ela conta inclusive com uma maravilhosa rede de apoio de pole dancer's que a ajudam com uma vakinha virtual para custear sua cirurgia auditiva https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajuda-para-luciana-luciana-gomes-soares .


Você conhece também mais exemplos de inclusão e superação através do pole dance? Conta pra gente aqui nos comentários! Nossos parabéns a quem supera todas as barreiras e não tem limites quando o assunto é a felicidade. Grandes vencedores! Quer ajudar a Lu? Contribua, curta e compartilhe o link da vakinha.

50 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo